Posts

5 passos para preparar o estoque para a Black Week

Como preparar o estoque para a Black Week é uma dúvida recorrente para varejistas e e-commerces. Saber preparar seu estoque para Black Friday evita que a sua empresa sofra com as reclamações rotineiras dessa época do ano.  

No estoque é onde tudo acontece, sua preparação e organização são fundamentais para a empresa escalar vendas e conseguir gerir com eficiência os pedidos. A falta de organização pode resultar em ruptura de vendas, atrasos nas entregas, duplicidade de pedidos e muitos mais. 

Para evitar toda essa cadeia de erros em sua empresa, trazemos 5 dicas essenciais de como preparar o seu estoque para a Black Friday desse ano. 

A perspectiva para Black Week 2021

A perspectiva que ronda a Black Week deste ano é otimista. Após bater o recorde de pedidos no último ano, a data mais famosa de compras no país parece se estabelecer no gosto popular.

Na última Black Friday, no período da quinta-feira (26) às 23h59 até sexta-feira (27) às 00h00, movimentou cerca de 7,6 milhões de pedidos, apenas o período da madruga movimentou mais de um milhão de pedidos.

Para 2021, o cenário segue animador e o crescimento de vendas em e-commerce e marketplaces são prova disso. Em levantamento feito pela Nuvemshop, baseado em seu banco de dados, apontou que no primeiro semestre de 2021, as PMES (Pequenas e Médias Empresas) aumentaram em cerca de 140% seu faturamento.

A quantidade de produtos vendidos saltou de 9,3 milhões no primeiro semestre do ano passado para 20 milhões neste ano. Neste cenário, é como se 10% da população brasileira tivesse comprado um produto em lojas virtuais neste primeiro semestre.

Além do comércio online, o possível retorno das atividades presenciais deve aquecer o comércio físico para a Black Week deste ano.

Veja 5 passos para preparar o estoque para a Black Week

1 – Se preparar para a demanda

Antes de gerenciar seu estoque é necessário se precaver com seus fornecedores. Seja para matéria prima ou distribuidor de produtos, sua empresa deve fazer um pedido prévio de produtos que possuam alta demanda.

Além de ter produtos que supram a demanda, sua empresa precisa se atentar à contratação de colaboradores temporários. Eles devem suprir a demanda de movimentações dentro do estoque. No último ano, o comércio de fim de ano, com início na Black Week, movimentou cerca de 7.890 vagas por todo Brasil.

2 – Utilizar Big Data

O Big Data ajuda a analisar todos os dados do varejo. Na preparação para a Black Week, os dados são essenciais para ter uma ação produtiva. A solução se baseia no histórico que a empresa possui e traça uma margem de crescimento anual que todo o produto demanda.

Os dados regem seus insights e atividades dentro da gestão do estoque. Com a utilização da solução você consegue encontrar informações sobre produtos mais comprados e tempo de processos dentro da empresa.

A moda e acessórios foi o segmento que mais movimentou pedidos na última Black Week

A moda e acessórios foi o segmento que mais movimentou pedidos na última Black Week

O Big Data consegue calcular a quantidade correta de produtos para que não haja ruptura de vendas. Também é possível analisar mercadorias que estão paradas no estoque. São elas que podem ganhar um maior desconto na Black Friday.

3 – Estruturar o seu estoque  

Após se preparar com fornecedores, estruturar os processos do centro de distribuição é vital para o decorrer de toda operação da empresa. Uma boa estratégia no estoque reflete como efeito dominó ao longo de todas as etapas

Atualmente existem práticas e sistemas que facilitam o gerente de estoque a ter o controle da sua área. O WMS, OMS, TMS e LMS são sistemas utilizados para contribuir com cada etapa que a logística necessita. Além dos sistemas, a ferramenta MDM é essencial para supervisionar as atividades dentro do estoque. 

O WMS, Sistema de Gerenciamento de Armazém, consiste em analisar o estoque visando controlar o inventário e a reposição de produtos.

O OMS, Sistema de Gerenciamento de Pedidos, busca gerenciar os pedidos da loja dentro do estoque.

O TMS, Sistema de Gerenciamento de Transporte, é responsável em gerenciar as entregas e otimizar as rotas do transporte.

Por fim, o LMS, Sistema de Gestão de Aprendizagem. É um mecanismo que serve para unificar todos os outros sistemas citados. Com a utilização desses sistemas proporciona um salto de qualidade em todos os processos operacionais.

Outro sistema que ganha espaço no centro de distribuições é o Cross Docking, ele otimiza o tempo de armazenamento de produtos em seu estoque.  O sistema garante a possibilidade de o produto ficar por menos de 24 horas em seu armazém resultando em entregas mais ágeis.

Além dos sistemas, criar modos para organizar seu CD pode influenciar em uma operação eficiente. Através de códigos de barras ou TAGs de RFID você consegue identificar cada setor de prateleiras, nichos, pallets ou cargas.

A prática de identificação desses setores facilita na hora da triagem, picking, inventário e separação de pedidos. Assim resultando em maior controle no posicionamento e rastreabilidade de produtos.

4 – Automatizar seu estoque

Nada destes cenários apresentados seria possível sem a tecnologia. Sabemos que existe uma grande mudança nos processos logísticos após a entrada da tecnologia no ramo. 

Além das criações de sistemas, a tecnologia é colocada na mão de obra dos processos de estoque. Coletores de dados, impressoras térmicas, leitores de códigos de barras e tecnologia RFID são essenciais para qualquer estoque hoje em dia.

Eles trazem maior produtividade, acuracidade e aptidão nas tarefas, desde o recebimento de cargas até o despacho de pedidos. Além disso, a utilização das soluções produz dados para alimentar os sistemas que já citamos.

A novidade na área de AIDC é transformar impressoras e coletores em vestíveis. A solução conhecida como wearable, ou em português, dispositivos vestíveis,  entrega praticidade ao manuseio de produtos dentro do estoque. A novidade é possível graças aos acessórios como: capa de braço (para coletores), anéis com scanners e cintos.

Outra inovação no mercado de dispositivos móveis é a migração para o Android. O sistema operacional se mostra mais eficiente e intuitivo em comparação ao Windows. Atualmente, o Android ganhou foco dos desenvolvedores na produção de aplicativos, após a descontinuação do Windows para dispositivos móveis. 

5 – Locação de curto prazo

A locação de curto prazo pode ser uma alternativa mais viável para atender a demanda de infraestrutura da Black Week sem gastar muito. 

As empresas normalmente se baseiam em uma média de consumo durante o ano, porém, a Black Week é um pico pontual de vendas que as empresas não mantêm uma estrutura dedicada.

A locação de curto prazo permite que sua empresa tenha os dispositivos novos e atuais com um preço justo. Muitos dos contratos possuem assistência e suporte para que sua operação não pare. O Daas, Device-as-a-service, deve movimentar cerca de 306 bilhões de dólares até 2026, dados do MarketsandMarkets.

A oferta de serviços de curto período, permite que a operação possa atender essa demanda pontual sem comprometer com investimentos ao longo prazo.

Integre dispositivos móveis para preparar o estoque para a Black Week

A preparação do seu estoque passa pela tecnologia. Os dispositivos móveis trazem mais otimização, acuracidade e praticidade aos processos. Eles têm papel fundamental para sua empresa entregar um serviço de qualidade ao cliente final.

A Prime Interway é distribuidora de dispositivos AIDC, como coletores de dados, leitores de códigos barras e RFID, impressoras de códigos, tablets robustos, etiquetas de RFID e muito mais. Contamos com os maiores fabricantes do mercado em nosso portfólio. 

Agora que você sabe como preparar o estoque para a Black Week. Entre em contato com seu revendedor para conhecer mais sobre as marcas e produtos. Caso você não possua uma revenda, podemos te ajudar a encontrá-la. E se sua empresa se interessa em se tornar nossa revendedora, preencha  nosso formulário para que a gente entre em contato.