Entries by Caio Santos

5 motivos para migrar seus coletores de dados para Android com a Zebra

Os coletores de dados com Android começam a ser maioria dentro do mercado de mobilidade e automação. Para quem está no mercado há bastante tempo, deve lembrar da hegemonia do Windows nos dispositivos.

O Windows dominava o mercado dos coletores de dados até os últimos anos, porém o avanço tecnológico dentro das empresas começou exigir mais capacidade dos sistemas operacionais.

Com a progressão das operações, o Windows foi exigido ao seu máximo, mas não conseguiu suprir as necessidades de velocidade e robustez que o mercado exigia.

Quadro apresenta a ordem cronológica das descontinuação do Windows Mobile

A Microsoft foi descontinuando seus suportes para Windows Mobile

Sem evolução, a Microsoft começou a analisar sua presença no mercado de coletores. Até que no primeiro trimestre de 2021, a empresa confirmou a descontinuidade do Windows CE e Mobile, acabando com o suporte para coletores de dados.

Como o fim do suporte do Windows impacta as empresas? 

Sem o suporte da Microsoft, o Windows não recebe atualizações regulares. A falta de novas versões de segurança e do próprio sistema faz com que os dispositivos fiquem vulneráveis.

Os equipamentos desprotegidos podem impactar diretamente na segurança da empresa, já que o coletor de dados pode ser a porta para um possível ataque cibernético.

Estudos mostram que 57% das violações poderiam ser evitadas com um patch de segurança. Por isso, atualizações recorrentes de segurança são essenciais para que a operação não sofra com malwares e vazamentos de dados.

Surgimento dos coletores de dados com Android 

Como o Windows já não respondia às necessidades das empresas, o Android começou a surgir como uma opção. Em sua primeira versão empresarial, o sistema operacional não teve um grande sucesso.

Mas os desenvolvedores seguiram apostando na versão corporativa. Eles buscaram as melhorias e correções que o sistema operacional necessitava para entrar nas aplicações;

Os investimentos do Google no Android empresarial aconteciam pelos benefícios que eles acreditavam que o sistema podia oferecer ao ramo.

O layout e a usabilidade eram pontos fortes do Android, por ser muito popular em celulares, os desenvolvedores confiavam que os operadores teriam mais familiaridade com o uso do sistema operacional.

E eles estavam certos, a proximidade dos operadores ao sistema se tornou o diferencial do Android dentro das operações. Tornando os treinamentos dos colaboradores mais fácil e rápido.

Essa facilidade na utilização impulsionou o crescimento do Android dentro da mobilidade corporativa e da automação comercial. Um exemplo disso, são os levantamentos feitos pela Zebra no estudo sobre o Futuro de Armazéns 2024.

O estudo mostra que 83% dos entrevistados do mercado de armazéns, já estão usando ou planejam usar o sistema operacional Android. Os líderes das empresas comentam o que esperam com a implementação do Android em sua operação:

43% esperam melhorar a eficiência dos funcionários, enquanto 39% acreditam que vão aumentar a capacidade dos funcionários de se adaptar às novas complexidades no fluxo de trabalho. E, por último, 39% preveem estabilizar o desempenho mesmo com a variabilidade da força de trabalho. 

Os benefícios de ter coletores de dados com Android 

A nova plataforma entrega as funcionalidades do Windows com mais benefícios exclusivos. Os coletores de dados com Android conseguem executar os aplicativos mais famosos da Microsoft como: Ingresso no local de trabalho (Workplace Join), Intune, Outlook, Serviços móveis do Azure, Office e Office 365, OneDrive e Cortana.

Com o Android ainda é possível sincronizar aplicativos do Google e Outlook. E desenvolver suas próprias aplicações dentro do Android pelo Visual Studio. Além dessas praticidades, a mudança de Windows para Android faz com que a empresa ganhe 5 benefícios:

  1. 1. O browser do Android é mais rápido e eficiente, ajudando nas aplicações das grandes ERPs que utilizam esse recurso.
  2. O Android facilita os treinamentos dentro das empresas, pois os colaboradores já estão acostumados com sua interface e usabilidade.
  3. O Android Empresarial conta com recursos avançados e exclusivos para maximizar a eficiência e a produtividade.
  4. A Zebra fornece o Mobility DNA para equipamentos Android, trata-se de um ecossistema que disponibiliza ferramentas de gerenciamento, integração, segurança e ferramentas de diagnósticos dos dispositivos.
  5. A interface touchscreen recebe recursos gráficos poderosos que aumentam a eficiência dos processos executados no dia a dia das empresas.

A Zebra facilita sua migração para o Android

Migre de forma fácil para o Android com a Zebra, a fabricante oferece todos seus benefícios na hora da troca de sistema.  Além de contar com coletores de dados de entrada, robusto, RFID e vestível com o sistema operacional.

A Prime Interway, juntamente com suas revendas parceiras, possui opções de Trade in e locação para facilitar a migração. Entre em contato e saiba mais.

Para você que ainda não é uma revenda Prime, cadastre-se em nosso formulário e conte com todos os nossos benefícios e exclusividades.

Cibersegurança para IoT: entenda a importância de proteger seus dispositivos com a Zebra

Nos últimos anos, os ataques cibernéticos se tornaram o pesadelo das empresas, essas investidas tornaram a cibersegurança para iot fundamental. Por serem dispositivos que acumulam muitos dados e possuem conectividade com sistemas, eles se tornaram alvo recorrente dos hackers.

Além disso, os dispositivos de IoT, em sua maioria, possuem menor espaço de armazenamento e processamento, limitando aplicações complexas de defesas. Somado a isso, a expansão que as operações que contam com esses equipamentos, torna a vulnerabilidade maior na segurança do IoT.

O processo de integração de novos dispositivos nas empresas, sem um controle prévio, pode expor o sistema.  Esse pequeno descuido no controle de segurança dos dispositivos pode acarretar um ataque poderoso ao sistema da empresa.

Um ataque cibernético pode ocorrer rapidamente, em estudo levantado pela Zebra mostra que em apenas 12 horas, 88% dos hackers conseguem invadir um sistema de cibersegurança. Enquanto as empresas demoram em média 197 dias para perceber que houve um ataque cibernético.

A principal forma de ataque dos hackers é através do ransomware, o código malicioso bloqueia o acesso aos dados que estão presentes no dispositivo. Além do ransomware, o malware e SQLI são outros códigos que são muito utilizados contra o IoT.

Os principais setores que são atacados pelo hacker são o Varejo, Órgãos Governamentais, Setor da Saúde e Manufatura.

A importância de aumentar a cibersegurança para IoT

As empresas ainda deixam diversas brechas de segurança por não acreditarem que não serão alvos. Porém, estudos mostram que esse é o perfil que os criminosos buscam em seus ataques.

A pesquisa feita pela Verizon aponta que 43% dos ataques cibernéticos do mundo são feitos em pequenas e médias empresas. O motivo disso, são a falta de infraestrutura cibernética e ausência de planos de ação, caso ocorra uma investida dos criminosos.

Outro ponto explorado pelos hackers são as vulnerabilidades criadas por tomadores de decisão. Muitos ainda acreditam que a segurança cibernética de IoT seja um tema complicado. E outros acreditam que suas empresas nunca foram atacadas porque tem um sistema forte de proteção.

Entretanto, temos que pensar que a evolução dos ataques é cada vez maior, os criminosos estão se revolucionando em busca de alcançar seus alvos. Por isso, as empresas precisam ter um perfil proativo de defesa e se possível contar com ajuda de parceiros para se prevenir da entrada desses códigos maliciosos.

Outra abertura que os hackers perseguem para os ataques são as desatualizações dos sistemas. Um sistema defasado abre uma fenda na segurança da empresa, por não receberem novos upgrades, a segurança do aparelho fica datada e exposta para os ataques.

Um exemplo disso é a descontinuação do Windows em dispositivos móveis, por não ter mais assistência da Microsoft, o sistema não terá mais atualizações. Estudo apontam que 57% de todas as violações poderiam ter sido evitadas com um patch de segurança.

Por isso os especialistas sugerem que as empresas troquem seus equipamentos para o sistema Android nativo.

Como se proteger de ataques a dispositivos iot com a Zebra

A Zebra oferece diversas garantias para as empresas que contam com os seus dispositivos. Por meio de testes e pesquisas, a Zebra investe anualmente em soluções de cibersegurança.

Além disso, a Zebra oferece funcionalidades que entregam mais segurança para empresas que trabalham com IoT. Através do Mobility DNA, as empresas conseguem ter um suporte de segurança, otimização, integração, gerenciamento e implantação dos dispositivos.

Através do Mobility DNA, a Zebra oferece o Mobility Extensions, solução que colocam camadas adicionais de recursos e serviços fundamentais para proteger os dados e o acesso à rede da empresa.

Outra ferramenta disponível é o Enterprise Home Screen, onde as companhias especificam os aplicativos que os usuários podem acessar. Além da possibilidade de desabilitar recursos dos dispositivos e iniciar aplicativos automaticamente.

A Zebra também proporciona uma maior proteção aos dispositivos contra um mundo de ameaças à segurança, reduzindo seu risco e ampliando a vida útil de seu dispositivo. É o caso do LifeGuard para Android, que estende o suporte de segurança do sistema operacional para até dez anos dando tranquilidade para as empresas.

Conte com a Zebra para melhorar sua cibersegurança

Com a Zebra, a empresa não integra somente um equipamento para sua operação, ela ganha em segurança e controle do seu sistema.

Pensando nisso, nós da Prime Interway distribuímos suprimentos, linhas RFID, coletores de dados, impressoras térmicas e muito mais. Por conta da nossa longa parceria, temos a maior disponibilidade de equipamentos da Zebra no mercado.

Evolua em cibersegurança para IoT e conte com a qualidade Zebra que o mercado conhece. Entre em contato com nosso time para mais informações.

Ainda não é uma revenda parceira da Prime? Cadastre-se no link: https://materiais.primeinterway.com.br/torna-se-uma-revenda e conte com nossos benefícios e exclusividades!

Entenda como ter mais produtividade com dispositivos vestíveis da Zebra

A tecnologia progride para acompanhar as mudanças e necessidades modernas ou novas necessidades surgem advindas das inovações tecnológicas?

Nos últimos dois anos, vimos o comportamento da sociedade se alterar bruscamente com o avanço da pandemia e assim surgirem diferentes necessidades, tendências e tecnologias. 

A busca por automação comercial aumentou acompanhando o crescimento do varejo e do e-commerce.

As grandes e médias empresas, que já eram consumidoras de tecnologia, seguiram com os projetos de expansão e atualização de parques, enquanto as pequenas empresas foram impulsionadas a procurar soluções para atender a nova e crescente demanda.

A mudança no centro logístico

O aumento repentino do volume de pedidos somado às novas modalidades de entrega (Drive-thru, retirada em loja física ou em terceiros, entrega express e logística reversa) aumentou a complexidade dos armazéns, transformando em ineficazes as operações que eram realizadas anteriormente. 

O consumidor se tornou mais exigente com o prazo de entrega e não atender esse quesito se transformou em ponto crucial para ruptura de compra. Flexibilidade e agilidade passaram a protagonizar a tomada de decisão entre uma empresa e outra.

Por isso, as empresas passaram a olhar com cuidado cada etapa do processo logístico (entrada do pedido, separação, entrega e logística reversa). O desafio era tornar a cadeia de operações mais rápida e eficiente, controlando todos os processos.

 A busca por produtividade nas operações logísticas

Para cumprir esse desafio, os grandes players buscaram por ferramentas confortáveis, para aumentar a comodidade em jornadas intensas de trabalho. Robustas, para suportar diversos usos em turnos diferentes. E intuitivas, para reduzir gastos com treinamentos.

Para atender essa necessidade do setor logístico chegou-se à conclusão de que o equipamento poderia ser  uma ‘possível’ extensão do corpo do colaborador. E com isso as soluções de ”mão livres’’ se tornaram uma ótima opção para o segmento.

Os equipamentos vestíveis começaram a ser testados em operações variadas. A quantidade de processos diferentes que o colaborador fazia começou a ser reduzida e os erros minimizados, além de maior satisfação para quem realizava a atividade.

Uma pesquisa interna da Zebra Technologies sobre fluxo de trabalho, mostrou um aumento de 30% na produtividade e 50% de redução no esforço muscular com o uso de Soluções de Mão Livres. Gerando a satisfação de funcionários e empresários.

Conheça os dispositivos vestíveis da Zebra

A Zebra, principal fabricante de equipamentos de AIDC, possui a linha de equipamentos vestíveis mais completa do mercado.

TC21 – Com opcional de suporte de pulso ou cinto.

Dispositivos vestíveis dão mais segurança no manuseio de produtos

Dispositivos vestíveis dão mais segurança no manuseio de produtos

O TC21 possui tela de 5 polegadas e um processador poderoso Octa-core, pronto para qualquer tipo de aplicação. Ele possui Android 11 podendo chegar até o 14. Além de ter a capacidade até 4GB de RAM e 64GB de Flash e IP67

Para uma solução mais completa, você pode adicionar o leitor de dedo bluetooth RS51, resultando em agilidade em todo o processo

TC52 – Com opção de suporte de pulso ou cinto

O TC52 possui tela de 5 polegadas, um poderoso processador octa-core com 2.4GHz, Android 11 com possibilidade de atualização até o 14 e IP 68.

Com o coletor no pulso, o operador tem praticidade em operações cotidianas

Com o coletor no pulso, o operador tem praticidade em operações cotidianas

Outra característica deste coletor é a compatibilidade com os óculos de realidade aumentada, o HD4000, gerando ainda mais eficiência no processo. Com o HD4000 você coloca a tela do coletor na área de visão do funcionário proporcionando mais rapidez na visualização dos processos a serem executados.

WT6000

Integre o coletor de dados com um leitor de mão para alcançar mais produtividade

Integre o coletor de dados com um leitor de mão para alcançar mais produtividade

o WT6000 conta com display de 3.2 polegadas, poderoso processador octa-core e opcional de ter um teclado físico. Também é compatível com  o leitor RS5100 bluetooth e o óculos HD4000.

Com o óculos, o operador consegue visualizar a tela do coletor

Com o óculos, o operador consegue visualizar a tela do coletor

A Prime é parceira de longuíssima data da Zebra, por isso temos a maior disponibilidade de dispositivos da marca no mercado. Oferecemos toda assistência técnica e vendas com nossa equipe especializada em Zebra.

Se sua empresa quer uma inovação que traga resultados reais no aumento de produtividade e eficiência na cadeia logística, ela precisa dos dispositivos vestíveis da Zebra. Entre em contato com nosso time de vendas para saber mais.

Dispositivos Zebra para a automação agrícola

A tecnologia na agricultura começa a ganhar terreno no Brasil. Conhecida como agricultura 4.0, ela propõe inovações para toda cadeia que está presente no agronegócio. A fusão da tecnologia nas atividades agropecuárias levou para outro estágio a agricultura no país.

Atualmente, os agricultores se apoiam em soluções tecnológicas para melhorar sua gestão da colheita. A rastreabilidade, tão importante para os consumidores, se tornou mais fácil com o crescimento da tecnologia no ramo. 

Além da rastreabilidade, a forma de validar o controle de qualidade, monitorar a plantação e o setor de pecuária foram potencializados com as inovações tecnológicas. Por isso, nesse conteúdo vamos te apresentar as inovações que estão mudando o cotidiano da agricultura.

Tecnologias na plantação

As tecnologias impactam diretamente o setor de plantação da agricultura. Agora é mais fácil rastrear todas as etapas que o produto passou dentro da fazenda. Antes os agricultores sofriam para conseguir atestar a rastreabilidade de seus produtos, mas atualmente, a tecnologia permitiu o fácil controle de todas as fases da colheita.

Assim dentro da plantação é possível ter fácil acesso a localização e identificação do plantio. A transmissão de dados da lavoura para o agricultor também se tornou menos complexa, já que os sistemas e os dispositivos fazem a automação de envio de informações. 

Tudo isso resulta na rastreabilidade do produto de ponta a ponta. A rastreabilidade se tornou ponto chave de debate sobre a confiança do consumidor nos processos alimentícios. No estudo sobre a segurança na cadeia de abastecimento de alimentos da Zebra, mostra que atualmente, 79% dos consumidores querem ter mais informações sobre a origem dos produtos. 

Como a rastreabilidade se tornou exigência do consumidor, seja ele final ou food service, a agricultura precisa entregar essa necessidade e colocar valor de mercado nisso. A melhor forma de desenvolver e entregar essa jornada da colheita são tecnologias de identificação. 

O RFID e códigos de barras são essenciais para identificar e rastrear todas as etapas da agricultura. O RFID está ganhando cada vez mais força em todo o mundo. Na agricultura a tecnologia permite monitoramento em tempo real de diversas partes do plantio. Além disso, é possível identificar os grãos na caixa de crescimento. E localizar e identificar setores da lavoura através das TAGs de identificação. 

Com RFID, o agricultor consegue ter acesso às informações sobre a saúde do plantio, localização das lavouras, entre outros fatores. Além disso, com a solução é possível identificar os grãos desde o seu plantio até a sua colheita, construindo uma rastreabilidade forte.  

Na questão de custos, a implementação do RFID pode resultar em diminuição de custos no monitoramento da plantação. Já que os dados gerados são enviados para o sistema, diminuindo diversas etapas que estão presentes no cotidiano do produtor.

Se o produtor faz parte do ramo agropecuário, ele também pode utilizar a tecnologia para cuidar do gado. Já falamos do que o RFID é capaz de fazer e, no cuidado com gado, o produtor consegue ter as informações sobre localização, alimentação e saúde do animal, coletadas de forma ágil pelo agricultor. A identificação também permite criar a rastreabilidade dos animais desde sua origem. 

Além do RFID, a telemetria também é um ponto importante dentro das fazendas. Ao modo que os dispositivos de IoT são integrados na agricultura é necessário colocá-los em posições estratégicas nas plantações.  

Tecnologia no armazenamento 

Após a colheita, organizar os produtos no armazém é vital. Nesse estágio a tecnologia de identificação permite uma melhor forma de controlar os produtos. Seja por TAG de RFID ou por códigos de barras, o agricultor consegue identificar os lotes de produtos e logo ter maior controle da validade dos alimentos. Pela rastreabilidade, o produtor pode codificar os lotes dos produtos e reduzir a perda por validade em sua operação. 

Homem com um coletor de dados Zebra na câmara fria

A agricultura necessita de coletores e outros dispositivos para entregar mais produtividade e rastreablidade

Além disso, o agricultor precisa se atentar em monitorar a umidade e a temperatura do seu estoque. Por trabalhar com alimentos perecíveis e sensíveis, automatizar o controle de temperatura do estoque é fundamental. Por isso, a adição de sensores no seu estoque consegue eliminar o monitoramento manual de temperatura e controlar remotamente o clima dentro do armazém.

Dispositivos Zebra para tecnologia na agricultura

Abordamos a importância do RFID na potencialização das atividades agropecuárias e a Zebra possui um portfólio extenso com todos os dispositivos e insumos da tecnologia. Para produzir uma operação baseada no RFID, o agricultor precisa de impressora térmica, leitor de RFID, coletor de dados e os insumos da impressora. 

Vamos te apresentar alguns dispositivos que podem ajudar a sua jornada no campo. Os coletores de dados têm o papel de ler as informações dentro das etapas, seja na plantação ou no armazém. 

A Zebra indica o TC26 para o trabalho agrícola. Por ter conectividade por Wi-Fi e por redes móveis, o coletor consegue se comunicar com o sistema mesmo em campo aberto.

A junção do TC26 com o leitor de RFID, RFD40, faz com que o coletor consiga ler as informações da TAG de RFID. O RFID é muito importante para que o agricultor consiga acompanhar sua lavoura em tempo real e identificar facilmente os ativos dentro da colheita. 

Além de ter leitor de RFID móvel, o leitor fixo é importante para o monitoramento do cultivo. Ele se torna um centro de informações da operação, permitindo a troca de informações instantânea com o sistema utilizado. 

Para imprimir suas etiquetas de RFID, o agricultor precisa de uma impressora térmica. Ela permite a impressão de diversos modelos de etiquetas e de materiais diferentes.  A Zebra possui diversos modelos de impressoras, seja industrial ou portátil. 

Para agilizar a identificação na plantação, a impressora portátil, ZQ630. Ela consegue entregar impressões rápidas de TAGs de RFID. Para impressora de mesa, o modelo RFID da ZT421 é ideal para identificação de produtos e nichos em seu estoque. 

Além desses dispositivos, a Zebra conta com leitores de códigos de barras. Possui o modelo portátil de leitores de códigos de barras, DS3600, que permite a leitura de códigos dentro da plantação sem a necessidade de cabos. 

A Zebra também oferece mais uma tecnologia na agricultura. Os sensores eletrônicos de temperatura são essenciais para monitorar produtos que sejam delicados ou necessitam de conversação em ambiente controlado. 

Prime Interway é distribuidora Zebra no Brasil

A Prime Interway é distribuidora dos dispositivos da Zebra no Brasil. Se você se interessou em algum dispositivo para seu negócio, basta pedir para sua revenda entrar em contato conosco. Caso você não tenha uma revenda, nós podemos te ajudar a encontrar a melhor para sua empresa.